Enquete – Que riscos de patchwork no isopor você pretende encontrar aqui?

Pessoal, boa noite,

As visitas aqui no blog tem superado bem as minhas expectativas e a maior parte das pessoas tem procurado por riscos.

Diga-me o que vc procura para me ajudar a ajudar você que, ou já viciou, ou ainda vai, no Patch no isopor – por enquanto vamos focar nessa técnica que tem ocupado meu tempo com bastante alegria.

Vou me programar para publicar riscos semanalmente conforme as dicas que aqui forem colocadas, ou eventualmente outras coisas que sejam indicadas.

Bem vindos 😉

[]s

Alessandra

Anúncios

Mas o que é uma Kokeshi?

De maneira simplificada, Kokeshis são bonecas japonesas esculpidas em madeira, com rostos pintados a mão, o que confere a elas o detalhe da unicidade, bastante valorizado pelos japoneses.

Depois de pesquisar um pouco sobre a origem delas – sim, eu gostava e fazia meu patch sem saber dos detalhes – me apaixonei ainda mais: a filosofia que permeia a histórias das kokeshis consiste na harmonização da beleza e da arte com a simplicidade.

A madeira utilizada é geralmente de Cerejeira ou Cornus, e descansa 5 anos antes de ser esculpida, para que esteja seca o suficiente.

As formas das bonecas variam de acordo com o tempo e a região:

  • Na origem, não tinham braços ou pernas definidas, apenas cabeça e corpo, e geralmente listas pintadas ao longo do corpo caracterizavam o artista e a região.

    Kokeshi Tradicional

  • A forma mais criativa, não à toa a mais moderna datando do pós 2a Guerra, é chamada Shingata. Aqui há liberdade de cores e formas aos artistas que geralmente são de grandes cidades.

    Kokeshi Criativa

    Kokeshi Criativa

  • E mais recentemente, encontradas facilmente em lojas do mundo todo:
Kokeshis, versão comercial

Kokeshis, versão comercial

  • E na versão patchwork no isopor, da Alessandra que vos escreve, com adaptações dos desenhos originais de Myriam Lakraa:

Kokeshi da Boo

Kokeshis da Ná

Kokeshi da Ju

Kokeshi em patchwork no isopor

Como a origem das Kokeshis é muito antiga, como tudo lá no Japão, há muito folclore sobre os motivos que as fizeram surgir, que hoje prefiro não citar, pois basta a beleza delas :).

Quem quiser mais detalhes, vide fontes:

Fontes:

  1. Curiosidades de como são feitas, com imagens da peça no torno e pintura, e outros detalhes: http://www.japanese-doll.biz/group/kokeshi-doll.html
  2. O que são as Kokeshis, em português, com mais detalhes dos tipos, formas, origens: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kokeshi
  3. Outro blog com mais detalhes em português: http://patylippi.blogspot.com/2010/02/kokeshi.html
  4. Fonte das fotos nest post publicadas: http://weekendsinmalaysia.blogspot.com/2009/08/when-weekends-get-ruined.html

E a nova Kokeshi ficou pronta!

E essa vai para uma amiga que pediu (quem será?).

Nem demorou tanto pq estou na fase Kokeshis novamente.

Criatividade limitada a minha – eis outro desenho da Myriam Lakraa.

Bom final de semana :*

A partir de outubro/2010 aceito encomendas desta caixinha. Se vc gostou, mas não se aventura a faze-la você mesmo clique aqui. Se vc preferir, deixe recado aqui mesmo no blog.

Pássaro – Risco adaptado para patchwork no isopor

Clique aqui para ir a nova página de riscos.

Não tentei ainda. Quem sabe até o final de semana?

Se alguém se aventurar antes, me conta 😉

Cachepot – pintura e decoupage

Cachepot: do francês cache (esconde) + pot (vaso). A partir daí a gente entende outras coisas:

  • cachecol = esconde-colarinho,
  • cachenez (lê-se cachenê) = esconde nariz 🙂

Voltando ao cachepô (aportuguesado), segue uma versão em MDF pintado com PVA creme e com decoupage de guardanapo.

O barrado do guardanapo caiu como uma luva na borda do cachepot!

Florezinhas internas dão um charme especial.

Au revoir! (j´aime beaucoup le français…)

Porta-guardanapos com tulipa; risco para patchwork no isopor

Esse foi um dos primeiros trabalhos nas técnicas de revestimento em tecido (total interno e externo), e o primeiro no patchwork no isopor. Se vc tem olho pra defeito, dá um desconto pra pontinha da tulipa na foto-detalhe.

Olhe a dica! Essa eu inventei e deu certo na primeira!

Note que há um pequeno vinco na pétala de cima a esquerda, que a separa da direita.

Não houve recorte.

O efeito consistiu em passar cola de isopor sobre toda a flor, uniformemente, e em seguida pressionar sobre o detalhe (fiz com o desmanchador de costuras, mas vale palito, ponta de garfo… o que for).

Ficou um efeito interessante, resinado e natural.

Espero que seja útil pra quem tem esse vício.

Aproveite e invente :*

E agradeço que compartilhe suas descobertas comigo também 😉

E aí vai o risco (clique na imagem para ver melhor):

Bjo,

Alessandra

Caixa para óculos, revestimento com tecido

Essa fiz pra Mel, deve chegar a ela ainda essa semana.

O revestimento do MDF foi feito por fora e por dentro, usando tecido estampado branco florido e um poá rosa delicado.

A manta acrílica no fundo acomoda com mais carinho os óculos dela.

De fato não caberão todos 🙂 A Marília Gabriela e a Mel devem ser parecidas no quesito óculos.

Previous Older Entries Next Newer Entries

%d bloggers like this: